GDC Açores - 2º Passeio Pedestre (Pico da Vara)

O ponto mais elevado da ilha de São Miguel!

 
 
O Pico da Vara é uma elevação portuguesa localizada no concelho de Nordeste, ilha de São Miguel, arquipélago dos Açores.
 
Este acidente geológico tem o seu ponto mais elevado a 1108 metros de altitude acima do nível do mar e é o ponto mais elevado da ilha de São Miguel.
Faz conjuntamente com a Serra da Tronqueira, o Planalto dos Graminhais, o Espigão dos Bois e o Pico Verde a maior formação montanhosa desta ilha.
Nas suas encostas encontra-se a Reserva Florestal Natural Parcial do Pico da Vara, onde se encontra O Priolo, ave endémica apenas desta ilha do arquipélago e espécie tida como muito rara e em vias de extinção.
 
 
O Priolo
 
 
O priolo era até há pouco considerado uma subespécie do dom-fafe (Pyrrhula pyrrhula), mas foram separados como duas espécies distintas em 1993. No entanto, a separação não é consensual, havendo ainda alguns autores que não reconhecem esta classificação.
Este passeriforme, que atinge um comprimento de 16 a 17 cm, tem o bico negro e forte, o corpo de cor cinza e a cauda preta. Nos juvenis, a cabeça é castanha. É facilmente reconhecido à distância pelo seu cantar característico, curto, flautado e melancólico, bastante distintivo.
Os dois sexos são idênticos. No verão, o priolo alimenta-se essencialmente em zonas abertas e no inverno permanece na floresta nativa de altitude, sendo muito dependente da floresta laurissilva típica da Macaronésia. Reproduz-se na floresta laurissilva, entre junho e o final de agosto.
O priolo é uma espécie de ave endémica da ilha de São Miguel, mais especificamente da zona montanhosa localizada a leste desta ilha, que abrange os concelhos do Nordeste e da Povoação. Vive predominantemente na Serra da Tronqueira e no Pico da Vara, na parte leste da ilha de São Miguel. Alimenta-se basicamente da flora (flores) da floresta laurissilva.
Um dos grandes motivos da sua quase extinção foi, além da destruição do habitat natural, a perseguição que lhe foi movida no século XIX durante o ciclo da laranja, justamente pela grande destruição que fazia nas flores das laranjeiras.
 
Nas suas encostas nascem várias ribeiras, nomeadamente a Ribeira de João de Herodes, a Ribeira da Água, e a Ribeira Despe-te que Suas.
 
 
Durante o percurso somos por duas vezes supreendidos por dois marcos a assinalar dois acidentes de aviação ocorridos no Século passado sem sobreviventes, um da Air France e outro da F A P.
 
São locais de meditação e de profundo respeito por todos aqueles que perderam ali a vida.
 
 
 
 
 
Marcel Cerdan o grande boxeur nascido na Argélia, campeão do mundo de pesos médios e que pouco tempo antes de embarcar naquele fatidico vôo da Air France tinha perdido o título mundial para o Jake La Mota, foi um dos que perdeu a vida naquele triste dia de 27 de Outubro de 1949.
 
Cerdan era um ídolo em França e a sua ligação à grande cantora Edith Piaf inspirou historiadores e escritores (Daniel de Sá escreve um brilhante artigo sobre o Pico da Vara e também sobre este tema), sendo a sua morte chorada em todo o Mundo principalmente em França.
 
 
 
 
 
Depois de tão completo passeio, mais uma vez terminamos com um petisco, onde todos puderam provar o que todos trouxeram – um verdadeiro  momento de partilha.
 
 
 
 

Até à proxima.

 


Texto de Eduardo Lacerda

 

 

 

 

 

 

Horário:
Local:
Preço:
Ficha de inscrição:
Periodo limite de inscrição:
18-04-2018
Calendário da área